• Nelson Moleiro

João Clara Negra Mole 2013


Já foi no passado mês de Agosto que degustei este vinho, uva Tinta Negra Mole na colheita de 2013, e proveniente de terras Algarvias. Estamos perante um vinho tinto nacional, obtido de uma casta antiga e tradicional na região, de carácter humilde, e maioritariamente esquecida, que pelas mãos de novos produtores destemidos permite ressuscitar tradições e trazer o Algarve para valores mais altos em termos de notoriedade dos seus vinhos. Nunca tinha provado um vinho de mesa de Negra Mole, o que de imediato me despertou o interesse, incrementado pelo facto que já tinha ouvido falar dos vinhos João Clara e o seu destaque e importância nos novos vinhos do Algarve. Quanto à casta, do pouco conhecimento pessoal que detenho, além da sua presença massiva nos fortificados da Madeira, ouvia falar esporadicamente que originava tintos muito leves, suaves, de fraca longevidade, que nas suas melhores produções e colheitas permitia termos um vinho ao jeito de alguns tintos da Borgonha.

João Clara Negra Mole 2013

Então e o que temos aqui? Uma prova às cegas, sem conhecimento base, e expectativas pessoais baralhadas pela incerteza do que esperar em prova. Temos um vinho mais claro e menos carregado de cor que o habitual, aromas delicados a frutos vermelhos, algum couro e surpreendentemente uma sensação de terra molhada com alguma salinidade à mistura. É bastante vivo, bons taninos, sedoso e macio em boca, sedutor, com algum álcool presente mesmo depois de aberto e repousado. Pensava que iria ser um vinho muito doce e não é de facto, boa surpresa. Julgo estar no momento certo para consumo, os taninos estão bem integrados, arredondados. Uns anos antes estaria ainda jovem, adiar mais um par de anos em garrafa retirar-lhe-ia talvez alguma frescura necessária. Um verdadeiro amante de um bom Pinot Noir encontra assim em Portugal uma alternativa que compete com esse estilo de vinho, e que dá muito boa conta de si. Eu gostei muito, e aprecio as apostas na diferenciação e rejuvenescimento de valores regionais e nacionais. A Tinta Negra Mole é uma casta autóctone que deverá ser aproveitada e respeitada, tanto pelo seu valor enológico como também pelo seu valor cultural e histórico. Não foi o caso particular nesta degustação mas tenho um feeling, influenciado e condicionado por experiências recentes, este João Clara Negra Mole 2013 será por certo par ideal e uma excelente harmonização para um risotto de cogumelos.

Castas: Tinta Negra Mole

Região: Algarve

Teor Alcoólico: 14% Vol

PVP: +/- 18,50€

Cheers!

#VinhoTinto #Algarve #JoãoClara #TintaNegraMole

© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle