• Nelson Moleiro

Vertical Quinta dos Roques Reserva Tinto


Foi a minha primeira presença nas verticais JCL (João Craveiro Lopes), um privilégio e honra de poder participar em provas tão especiais. O João é um grande defensor e apaixonado dos vinhos do Dão, região vinícola que defende e promove com toda a garra e querer. Estas verticais são sempre excelentes oportunidades para provas de eleição, diria mesmo únicas no contexto nacional. Tirando essa componente técnica e de aprendizagem, são sempre momentos de convívio e debate são, com uma boa dose de insanidade e sentido de humor no cardápio.

Desta vez a escolha incidiu sobre a Quinta dos Roques, concretamente sobre o seu Reserva, numa prova de todas as colheitas desta referência, 14 vinhos. Pois é meus caros, desfilaram as seguintes colheitas de Quinta dos Roques Reserva: 1992, 1994, 1996, 1997, 1999, 2000, 2002, 2003, 2005, 2006, 2007, 2011, 2013 e 2015. Coisa pouca não é? Minha nossa, que privilégio! O local, o restaurante Lá em Casa em Gouveia, ambiente familiar, descontraído e relaxado. Este género de prova tem tanto de interessante e aliciante, como por vezes se reveste de injustiça, já que se cola à subjectividade de quem prova, ou por exemplo do estado de conservação e evolução de algumas garrafas. A evolução de um vinho da mesma colheita pode ser díspar de exemplar para exemplar. Quem diz que nunca teve uma má garrafa mente pela certa.

Mas tomando as rédeas a isto, a Quinta dos Roques dispensa apresentações, um marco sólido dos vinhos do Dão e produtor de renome tanto a nível nacional como internacional. De forma a não me tornar exaustivo, irei referir algumas colheitas que na esfera pessoal se destacaram. Isto remete-me a uma observação fulcral, a enorme consistência de todos os vinhos em prova, qualidade ímpar colheita atrás de colheita, cada uma com características e identidade próprias, mas sustentadas num denominador comum, vinhos de excelência que interpretam com carisma e autenticidade o terroir granítico do Dão.

O Quinta dos Roques Reserva é um vinho de lote, onde são colhidas as uvas de várias castas autóctones de uma parcela, vindimadas e fermentadas em conjunto. A variabilidade de cada ano, os aspectos meteorológicos, doenças na vinha, entre outros, determinam as características de cada colheita, e por consequência de cada vinho. Por vezes certas castas expressam-se melhor em determinado ciclo anual e sobressaem, ou melhor, dão o seu toque pessoal e mais marcante ao lote.

Quinta dos Roques Reserva Tinto 2015

Ainda novo, rude, verde, adstringente, excelente. Ainda com alguma sensação alcoólica, um vinho a ver com muita atenção no futuro, arrisca-se a ser das melhores colheitas de sempre de Quinta dos Roques Reserva, tremendo potencial.

Quinta dos Roques Reserva Tinto 2013

Um vinho mais sereno, polido, extracção quanto baste. Revela a elegância e polivalência destes vinhos. Denoto um carácter mais ligado ao Jaen em boca.

Quinta dos Roques Reserva Tinto 2007

Mais um grande vinho, volto a repetir-me. Reina a classe e serenidade ainda marcada com alguns taninos vigorosos. Cumpre e mantém a certeza acérrima que temos vinho mesmo após 10 anos, e por muitos mais.

Quinta dos Roques Reserva Tinto 2005

O meu favorito. Todo o perfil do Dão de elite, notável frescura. O nariz discreto mas primoroso como pretendo, na boca o conjunto completo, frescura, fruta limpa, acidez e nervo. Um primor de vinho, com vegetal e taninos que envergonham vinhos 10 anos mais novos. Que grande vinhaça!

Os meus parabéns ao João Craveiro pela dedicação e esforço pessoal que dedica nestes eventos. Os meus parabéns também ao Luís Lourenço e a toda equipa da Quinta dos Roques, em primeiro lugar por produzirem vinhos desta grandeza, em segundo pela paixão e paciência que aplica na explicação dos seus vinhos à malandragem presente. Depois da vertical, e seguindo o decurso do almoço, um desfile de referências trazidas pelos presentes, das mais variadas. Tantos vinhos em excelente forma, foi um crime não conseguir debruçar-me com total atenção. Mas estamos a falar de vinho meus caros, para que serviriam o vinhos se não existisse convívio?

Até já!

#VerticalJCL #Dão #QuintadosRoques #VinhoTinto

© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle