• Nelson Moleiro

Quinta de Saes Estágio Prolongado "Late Release" 2011


A Quinta da Pellada é dos produtores, eu diria mesmo, o grande produtor de vinhos do Dão actualmente, e que a meu ver o que repercute nos vinhos produzidos a verdadeira identidade, potencial e herança regional. Essa genuidade está patente em todas as gamas, desde os vinhos da gama Saes, à linha premium Pellada. Mas por outro lado, se há coisa que este produtor prima, é por nos baralhar com as múltiplas referências e engarrafamentos dos vinhos. Um mesmo vinho, da mesma colheita, com o mesmo lote, o mesmo rótulo, é muitas vezes na prática um vinho diferente, dependendo da altura do engarrafamento. O Primus, um dos grandes brancos nacionais, é um exemplo do que digo.

Na gama Saes, no que toca aos tintos, o Quinta de Saes Estágio Prolongado é o ex-libris, um tinto que coloco como best deal no que toca a tintos nacionais, qualidade extraordinária e de classe mundial. Mas a Quinta da Pellada voltou a baralhar as ideias à malta, e lançou o Quinta de Saes Estágio Prolongado "Late Release" 2011, a que atribuiu também um rótulo diferente, a procurar recriar a famosa edição Late Release de 2000, muito badalada e reconhecida, mas que infelizmente nunca tive o privilégio de provar.

Após alguma pesquisa, e podendo eu estar equivocado, este vinho obedece à mesma permissa da fermentação em inox, seguido de maloláctica em barrica de carvalho francês com subsequente estágio de 14 meses. Permaneceu em garrafa durante 3 anos antes de ser lançado no mercado em 2016. O lote é diferente do usado em outras edições, contendo mais alfrocheiro e mais vinho de vinhas velhas da Pellada. É um lote que procura mimetizar o da colheita de 2000.

Mas acabando com toda esta lenga lenga, o que interessa mesmo é avaliar e desfrutar o vinho no copo e sobretudo à mesa. Tinha altas expectativas para esta garrafa, 7 anos parecem-me uma espera aceitável para este vinho. Recentemente tinha bebido um Quinta de Pinhanços Reserva Tinto 2012 e adorei, que apesar de distinto e com uma base diferente, me levava a perspectivar algo ainda melhor neste Late Release.

O vinho encontra-se num óptimo momento, uma autêntica jóia, equilíbrio e harmonia perfeita entre a fruta, a acidez e mineralidade, com nuances vegetais de identidade própria dos vinhos do produtor. Bastante volume em boca, com elegância, muito sedoso, com toque vegetal que prolonga em boca e me agrada tanto, seduz-me. Uma pessoa cansa-se tanto da exacerbação e concentração de fruta em alguns vinhos, que encontrar algo assim, com esta frescura e delicadeza, é um verdadeiro achado! A sua grande virtude traduz-se na vontade de malhar copo atrás de copo, é salivante, e acompanhou maravilhosamente um naco de coração de alcatra com espargos salteados e chips de batata doce.

Estamos perante uma relíquia do Dão, e este é um dos meus grandes vinhos!

Quinta de Saes Estágio Prolongado "Late Release" 2011

Castas: Típicas da região, vinhas velhas da Quinta da Pellada

Região: Dão

Teor Alcoólico: 13% Vol

PVP: +/- 22€

#Dão #QuintadaPellada #QuintadeSaes #VinhoTinto

© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle