• Nelson Moleiro

Robert Klingenfus Pinot Gris Grand Cru Bruderthal 2014


Foi no decorrer de 2018, em pleno mês de Maio, que visitei a Alsácia. Algo que já falei e escrevi por aqui e se tiverem curiosidade de dar uma olhada, poderão seguir neste link (Alsácia o Berço do Riesling). Durante a minha estadia acabei por fazer a tradicional Rota dos Vinhos da Alsácia, percorrendo vilas e locais históricos e de culto, paisagens e arquitectura pitorescas, e as respectivas vinhas e produtores de renome. Fiquei sediado em Molsheim, mais a Norte, perto de Estrasburgo, célebre sobretudo por ser o local onde se fabricam os carros Bugatti. No último dia de estadia vagueei pela localidade à procura de um produtor local, daqueles que não fizessem parte das grandes referências, mas que tivessem vinhos próprios para prova, vinhos de garagem. Foi então que encontrei o Domaine Robert Klingenfus, fui muito bem recebido e tive o prazer de fazer uma prova do seu portefólio vínico, tudo em ambiente informal, uma autêntica mostra de portas abertas. Entre outros vinhos, comprei um vinho branco da casta Pinot Gris, Robert Klingenfus Pinot Gris Grand Cru Bruderthal 2014. É um vinho obtido de uma das melhores parcelas do produtor, Bruderthal.

A uva Pinot Gris deriva geneticamente da Pinot Noir mediante mutação, sendo uma uva com cor mais colorida do que habitual, podendo ser rosada ou até escura. O próprio nome Gris, diz tudo, cinzento.

Robert Klingenfus Pinot Gris Grand Cru Bruderthal 2014

Castas: Pinot Gris

Região: Alsácia, França

Teor Alcoólico: 13% Vol

PVP: +/- 14€ (no produtor)

Cor amarelo dourado, alguma viscosidade. Estando as vinhas localizadas em pleno coração da Alsácia, clima continental frio, consegue-se a acidez e frescura ideais para o desenvolvimento e optimização desta casta, que neste Grand Cru revela uma ligeira expressividade floral a par com a fruta madura, alperce, pêssego, maçã e algum fruto tropical. Nesta versão molleux, semi-doce, a característica melosa está bem compensada com a frescura e acidez incutida a estes vinhos, notável volume e comprimento de boca, conduzindo a uma exímia harmonização com pratos exóticos. Importante referir que são vinhos distintos e não fáceis de encaixar num consumidor menos habituado a este perfil, mas possuem uma riqueza extraordinária, e a correcta harmonização permite uma melhor experiência degustativa. Daí ter escolhido um prato que habitualmente faço, aliás deve ser dos poucos que "inventei" e sei fazer bem. Deixo a dica!

Bifes de Perú (cortados grosseiramente em pedaços por mim)

com leite de côco, caju, gambas e pimentos, acompanhado com arroz basmati e manga laminada.

Domaine Robert Klingenfus (Maio 2018)

#Alsácia #PinotGris #vinhobranco #França

© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle