• Nelson Moleiro

Arinto dos Açores “Sur Lies” 2014 - Azores Wine Company


A cor amarelo-dourado palha parece evidenciar numa primeira instância uma certa evolução oxidativa, e de facto sente-se no nariz uma certa oxidação, ténue, não incomodativa, que poderá até estar relacionada com o terroir vulcânico do Pico. Este Arinto dos Açores “Sur Lies” 2014, nas primeiras abordagens ao copo estranha-se, mas depois entranha-se, e acabo a interrogar-me se esta micro-oxidação não acrescentará algum valor ao vinho. Realmente torna-o interessante, o estágio Sur lies (em português, "sobre as borras") confere-lhe mais estrutura, talvez com menos finesse e frescura que outros vinhos atlânticos, mas onde a acidez e salinidade lhe conferem alguma sustentação, aliada a um corpo mais complexo, volumoso, macio, traduzindo-se num vinho distinto e bastante diferente dos arintos do Continente. A complexidade aromática vulcânica é interessante, mas para ser muito franco, até esperava um maior impacto.

Em certas alturas no decorrer da prova, a minha inexperiência no perfil destes vinhos açorianos, conjugada por outro lado com um algum conhecimento empírico de prova de Riesling da Alsácia, fez-me lembrar o nariz e boca de alguns Rieslings daquela região francesa, aqueles mais secos, já com uns pares de anos de estágio, e sem aquela sensação de açúcar residual que alguns detêm.

Este é um ponto que achei por bem referenciar, pois a minha experiência com vinhos brancos dos Açores é diminuta, tanto em novos como com alguns anos de garrafa. Como sempre, uma descrição da minha experiência pessoal perante o vinho no copo. Cheers

Castas: Arinto dos Açores

Região: Ilha do Pico, Açores

Teor Alcoólico: 13% Vol

PVP: +/- 32€

#Açores #ArintodosAçores #vinhobranco

© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle