• Nelson Moleiro

Domaine Guillemot-Michel Viré-Clessé Quintaine 2017


Domaine Guillemot-Michel Viré-Clessé Quintaine 2017
Domaine Guillemot-Michel Viré-Clessé Quintaine 2017

Nos últimos dias a comunidade enófila tem andado bastante activa no campo de batalha, as ditas redes sociais. Das diversas publicações, independentemente da sua origem, acabamos sempre por ver associado nos comentários o tema do preço dos vinhos, e a sua escalada pelo caminho da criação da gama dos Super Tugas. Sim, é mesmo isso, cá gostamos de falar de gamas de vinhos, não faz grande sentido, mas nós somos assim.


De um lado os advogados de defesa dos produtores, os especialistas da nossa Federação Nacional de Provadores, a seguirem a agenda criada, beber e comer à lei da borla. Do outro, apreciadores de vinho e enófilos que, como consumidores informados, lançam questões inquietantes para discussão, sempre rebatidas com indignação pela Guarda Real de King’s Landing.


Para mim existem duas coisas que escasseiam, e não é gás nem petróleo, mas sim cultura vínica e um pouco de conhecimento de mundo. Faz-me confusão a vassalagem na elevação do bom que vamos fazendo, e por sinal cada vez melhor, subitamente somos os melhores do mundo. Mas basta estarmos atentos para ver que, quando vão lá fora, são os produtores os primeiros a meter fotos dos vinhos estrangeiros que bebem.


Dito isto, o vinho, Domaine Guillemot-Michel Viré-Clessé Quintaine 2017, um Chardonnay de um dos percursores do biodinâmico no sul da Borgonha no Mâconnais.


Marc Guillemot e Pierrete Michel trabalham há 40 anos neste vinho, vinhas pertencentes aos seus antepassados, algumas delas datam de 1918, e desde que fazem este chardonnay têm incrementado via conhecimento pela biodinâmica, qualidade no produto final, sem recorrer a esoterismos, a formação familiar é de engenharia.


Um vinho com cor amarela-esverdeada, no nariz fruta branca madura, maçã verde, e um ligeiro herbáceo de fundo. Boca com bastante volume, cheia, muita matéria e uma acidez muito presente que lhe dá uma secura extra no final de boca promovendo a salivação, óptimo para parelhas gastronómica. Peixes gordos, queijos, muita polivalência para acompanhar este vinho.


E no que toca ao enquadramento com a nota inicial deste texto, o Guillemot-Michel Quintaine 2017 custa 25€, talvez agora uns 5€ mais, e vem construído o seu lugar ao longo de décadas, com qualidade e valor de mercado sustentados.


Castas: Chardonnay


Região: Viré-Clessé (Quintaine), Borgonha


Teor Alcoólico: 13% Vol


PVP: +/- 25€


Domaine Guillemot-Michel Viré-Clessé Quintaine 2017

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo