• Nelson Moleiro

Fulcro O Equilíbrio 2018


Quase um mês, já lá vai quase um mês sem escrever sobre algum vinho, a primeira vez desde que me iniciei nesta jorna. Tempos complicados e horários difíceis, muitas horas de lua de mãos dadas com as de sol. Mas os vinhos, eles não esperam, não têm parado de perfilar, não tenho é estado tão presente na blogosfera.


Mas indo ao que interessa, venho falar de mais um...albariño. Que surpresa não!? Em pleno ano de 2009 Manuel Moldes embarcou no projecto pessoal e familiar de produzir vinhos de garagem em Sanxexo, Rías Baixas. Até essa data produzia unicamente vinho para consumo próprio, com colaboração dos amigos locais como Rodrigo Méndez das Bodegas Forjas del Salnés e Raúl Pérez iniciou a sua própria história criando as Bodegas Fulcro. Desde aí tem mantido um crescimento sustentado e com bases sólidas, produção moderada de vinhos que realcem a frescura e singularidade do Vale do Salnés, o vigor e salinidade atlânticos. A Galiza está na moda, os seus vinhos então nem convém falar nisso, Luis Gutiérrez seu pulha! A qualidade e distinção? Sempre lá estiveram, bastava estar atento, mas o reconhecimento disparou e consequentemente o preço. Esta moda, este boom, num estalar de dedos até desencadeou alguns audazes navegadores lusitanos de insuflável e braçadeiras a descobrirem o caminho "marítimo" da Vidigueira para a Galiza.


Fulcro O Equilíbrio é um albariño que Chicho (o nome como é conhecido carinhosamente nas Rías Baixas Manuel Moldes) produz com uvas de vinhas com cerca de 40 a 70 anos em solo de xisto junto a uma antiga mina de estanho. Fermentação com leveduras autóctones e estágio em barrica por cerca de 10 a 12 meses, sem realizar fermentação maloláctica.


Fulcro O Equilíbrio 2018 revela ao dia de hoje um lado vegetal da casta mais destacado e que sobressai, no nariz com um fundo citrino ligeiro, elegante, ligado e harmonioso. Muita secura em boca, acidez ainda presente em dose q.b. que lhe confere tensão e um carácter enérgico singular, mantendo-se linear em prova com equilíbrio entre volume e acidez. Muito limpo, elegante, corpo médio e de final de boca salino e salivante, herbáceo, mineralidade muito evidente com fruta muito discreta, jovem, a perspectivar um albariño de alto nível com guarda a médio longo prazo.


Castas: Albariño


Região: Rías Baixas, Galiza


Teor Alcoólico: 13,5% Vol


PVP: +/- 17,5€


Fulcro O Equilíbrio 2018

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo