• Nelson Moleiro

Rosé Vulcânico 2019 - Azores Wine Company


Rosé Vulcânico 2019 - Volcanic Series

Não há volta a dar, não dá para provar e beber tanta coisa, pelo menos vou vendo as coisas nesse prisma, é humanamente impossível, quer seja para zelar por um nível de saúde equilibrado, quer seja por factores financeiros pois a manta não permite comprar tudo o que gostaria provar, ou então porque não tenho mesmo pachorra para provar coisas que não me identifico. Isso fica para os profissionais da crítica, os que encontram num vinho rosé “água temperada com morango e aipo”, fica chique, a mim soa-me a água choca. Minha nossa tirem-me deste filme! Vai daí, opto em adquirir valores seguros de regiões predilectas (o Dão carai!), e orçamento algo para algumas novidades e descobertas, nacionais e internacionais, que alinham no gosto pessoal adquirido no meu percurso vínico. Há coisa de 3 anos iniciei um périplo pelos vinhos insulares atlânticos, de índole vulcânica, com especial ênfase nas ilhas Canárias. O que é certo é que o gosto foi cimentando, não ganhei “enjoos” nem aversões aos vinhos destes terroirs, muito pelo contrário, os brancos fascinam-me pela salinidade de boca associados a estrutura e dimensão.


A Azores Wine Company pelas mãos de António Maçanita, é o produtor em maior destaque em Portugal no que toca a vinhos do Pico, tem dinamizado e elevado o valor dos vinhos açorianos exponencialmente. Este Rosé Vulcânico já o tinha provado na colheita de 2018, este 2019 parece-me, num primeiro impacto, mais rústico e diferenciador, com a salinidade terrosa e mineral a lembrar uma falsa sensação de agulha no palato, mas que lhe confere uma dimensão gastronómica interessante, muitas vezes só possível em alguns vinhos brancos e difícil encontrar nos rosés, sobretudo quando inclinam em demasia para o lado frutado.


Vinhas velhas com castas como Saborinho e Agronómica, Touriga Nacional e Aragonez. Uma vez mais a salinidade em evidência, bem fresco, fruto vermelho no aroma sem exacerbação, na boca está presente um pronunciado carácter vulcânico com iodo e bastante mineralidade, leve de cor, sem grande extracção, muito gastronómico e seco no final de boca.


Um vinho rosé português distinto para quem pretender aventurar-se a provar algo fora do habitual.


Castas: Vinhas Velhas (Saborinho, Agronómica, Touriga Nacional, Aragonez, etc)


Região: Açores, Ilha do Pico


Teor Alcoólico: 11,5% Vol


PVP: +/- 11,50€



© 2016-2020 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle