La Rioja Gran Reserva e Tapas

15.03.2017

 

Desta vez galgamos fronteiras e vamos à vizinha Espanha. O objectivo, trazer um vinho e aliá-lo às suas famosas tapas, ou petiscos como chamamos por cá. Nisso eles batem-nos aos pontos e por larga distância, sempre conseguiram uma dinâmica bastante activa, nós por cá vamos progredindo aos poucos, mas ainda estamos longe do conceito. Resumindo, quisemos ser brutos e trazer muita coisa para a mesa, enfardar, e acompanhar tudo com um tinto espanhol de gama média-alta. O eleito foi um vinho da Rioja, um LAN Gran Reserva 2007, das Bodegas LAN.

 

Para enquadrar um pouco melhor quem desconhece a classificação destes vinhos espanhóis vou fazer só uma abordagem rápida e simplista, sempre poderão olhar melhor para estes vinhos sabendo o que vão beber e comprar. Eu próprio cheguei a escolher vinho espanhol com base em pressupostos errados.

 

 

 

A Rioja foi uma das primeiras regiões vinícolas a colocar os vinhos espanhóis nas bocas do mundo, sendo a região que mais vinhos produz em Espanha. Foi também a região pioneira a adoptar a classificação dos vinhos em Crianza, Reserva e Gran Reserva, uma classificação hoje ubíqua e universal em terras de Castela. Esta região extensa, localizada no Norte de Espanha, produz especialmente vinhos tintos, onde a Tempranillo (a nossa Aragonez ou Tinta Roriz), Garnacha, Mazuelo e Graciano são as castas permitidas para classificá-los em D.O.Ca (Denominación de Origen Calificada). Contudo é a Tempranillo quem reina por aquelas bandas, sendo que estes tintos Rioja, amadurecem e estagiam em madeira por mais tempo que qualquer outro vinho a nível mundial, digo isto regra geral, e grosseiramente.

 

Foi esta particularidade que quis aferir nestes vinhos, e da visita a Espanha há uns meses atrás, trouxe comigo vinhos das 3 categorias para experimentar. Pessoalmente acho que a madeira deve ter um limite nos vinhos de mesa, certamente traz mais complexidade e estrutura na jiga-joga de aromas e sabores secundários e terciários, os tais bouquets, mas em excesso julgo que desvirtua o essencial, o vinho. 

Para nos focarmos numa característica que distingue um tinto Crianza, Reserva e Gran Reserva, poderíamos dizer que a diferença está no tempo, isto porque esta classificação baseia-se, em modos redutores, no tempo de envelhecimento do vinho em adega antes da comercialização.

 

Classificação Especial na Rioja

 

Crianza (Tinto)

 

Envelhecimento total mínimo de 24 meses, dos quais 12 deverão ser em barrica.

 

Reserva (Tinto)

 

Envelhecimento total mínimo de 36 meses, com mínimo de 12 meses de estágio em barrica.

 

Gran Reserva (Tinto)

 

Para as melhores colheitas, 2 anos em barrica e 3 em garrafa (envelhecimento total mínimo de 60 meses, com pelo menos 24 meses estágio em barrica).

 

Outras categorias

 

Vinhos jovens ou vinho do ano, que se podem consumir sem qualquer tempo de maturação, com tempo em barrica inferior a 6 meses.

 

LAN Gran Reserva 2007

"The most spectacular vineyards in Rioja are owned by Bodegas LAN: a privileged enclave of 72 hectares of Tempranillo, Graciano, Mazuelo and Garnacha planted after 1950 and located on the border of Rioja Alta with Rioja Alavesa surrounded by the Ebro River. Aged in American and French oak during 24 months, followed by 36 months in the bottle. Recommended to pair with roasted meats, lamb, hearty stews and cured cheeses. Drink at 18ºC"

 

 

Viemos então testar um Gran Reserva, colheita de 2007, 80% Tempranillo, 10% Mazuelo e 10% Garnacha, estagiou 24 meses em barricas de carvalho americano e francês, seguido de 36 meses de repouso em garrafa, antes de ser comercializado. Talvez terá iniciado a comercialização em 2012 ou 2013, esta garrafa foi adquirida em meados de 2016 numa Feira de Vinhos no Aeroporto de Madrid por 18€.

 

A nossa experiência

 

Da minha total inexperiência com estes vinhos, considero um vinho que marca pela diferença, cor roxa-avermelhada bem definida, com bastantes aromas a tostados de cafés, tabaco, couro e especiarias, e umas nuances de frutas pretas secas. Na boca até surpreendeu pela boa acidez, com bom corpo, muito envolvente com taninos elegantes, num final de boca prolongado e com sabor a frutos silvestres intensos e terrosos. Este é um bom vinho, com alguma complexidade, mas de uma forma equilibrada e agradável, tornando-o fácil de beber. Contudo, quando digo fácil de beber, refiro-me às minhas expectativas, pois imaginava ser um vinho pesadão. Um vinho desta natureza convém que se faça acompanhar de pratos bem elaborados e robustos, como por exemplo todas estas tapas que degustámos na presença deste LAN Gran Reserva 2007.

 

 

Tapas

 

Todas estas iguarias bem compostas, para harmonizarem com o vinho escolhido, foram providenciadas como é habitual no nosso espaço pela Sophie's Secrets

 

 

Tábua de queijos e enchidos

 

Tortilla

 

Ovos no forno com cogumelos

 

Ovos mexidos e farinheira

 

Camarões com chourizo

 

Grão com chourizo

 

Filetes de cavala com pimento e azeitona

 

Naco de vitela

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Galeria de Fotos

 

 

 

Um brinde e até já!

 

 

 

Please reload

DICAS DE VINHOS BOA COMPRA!

#1 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato 2014

Douro (Branco)

 

#2

Primus 2015

Dão (Branco)

 

#3

Quinta da Pellada Estágio Prolongado 2011

Dão (Tinto)

#4

Dão A Centenária 2015

Dão (Tinto)

#5

Luís Pato Vinhas Velhas 2017

Beira Atlântico (Branco)

#6

Em Cru 2017

Dão (Branco)

#7

António Madeira Colheita 2016

Dão (Tinto)

#8

Argau Cuvée Bruto

Beira Atlântico (Espumante)

#9

Quinta da Serradinha Encruzado e Arinto 2016

Encostas d'Aire / Lisboa (Branco)

#10

Conciso 2014

Dão (Branco)

Actualizado em Junho de 2019

ARTIGOS RECENTES

Também vais gostar

04.11.2019

31.10.2019

Please reload

Please reload

© 2016-2019 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle