Muxagat Os Xistos Altos Rabigato Branco 2013

18.08.2017

 

Ainda vamos meio do ano e já posso considerar que 2017 é o ano que bebi mais e melhor vinho branco. Este facto está directamente ligado às escolhas e experiências pessoais, mas também à crescente qualidade nos nossos vinhos brancos. Este Muxagat Xistos Altos está lá no topo dos vinhos brancos que me deram imenso prazer de beber e conhecer, juntamente com vinhos como o Mirabilis 2015, Primus 2014 (Dão), ou o Domaine de La Taille Aux Loups 2015 Montlouis Sur Loire Remus, um Chenin Blanc que me deliciou em pleno Vale do Loire. Talvez esteja a cometer uma injustiça ao mencionar somente estas referências, de tantas outras que me surpreenderam, mas estes são vinhos que considerei de nível extraordinário, aquela dita fasquia "outstanding".

 

Já aqui em tempos falei dos vinhos Muxagat, na altura o Rosé e o singular Tinta Barroca. Desta vez num ambiente descontraído de início de férias, com espírito totalmente aberto e disponível, entreguei-me à prova deste Xistos Altos, o branco topo de gama da Muxagat Vinhos, um monocasta de Rabigato da colheita de 2013.

 

A nova geração de produtores, com sangue novo, ousadia e atrevimento, veio questionar linhas ideológicas na elaboração dos vinhos do Douro, e questões pertinentes como "Porque não fazer assim? Faz todo o sentido!", permitiram revitalizar certas castas tradicionais, por vezes esquecidas e menosprezadas, mas que são a nossa riqueza e trunfo diferenciador para o mercado externo. É o caso da uva Rabigato no Douro, uma casta muito promissora e que me tem chamado a atenção, usada com outras uvas em vinhos de lote, ou mesmo a solo na versão extreme como aqui no Xistos Altos. E porquê? São vinhos que considero com tremendo potencial, ainda longe do olhar do consumidor habitual, mas que vão no sentido certo do que um bom vinho branco deve ser, pelo menos a meu ver. Regra geral, a uva Rabigato permite obter vinhos com boa frescura, aromas vegetais e minerais, e uma acidez natural vibrante, dando uma sensação de frescura do início ao fim da prova, a demarcar da antiga escolha de vinhos brancos durienses mais frutados e repetitivos.

 

 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato Branco 2013

 

 

Castas: Rabigato

 

Região: Douro (Douro Superior)

 

Teor Alcoólico: 12% Vol

 

PVP: +/- 22€

 

Com uma cor amarela com alguns reflexos esverdeados, é um vinho que me encanta logo pelo aroma, muito vegetal e terreno, alguma componente floral e fruta branca citrina, muita frescura e vivacidade, onde a identidade vegetal prende-me por largos minutos a apreciá-lo. Na boca é estonteante, uma vénia a estas uvas Rabigato e à enologia minimalista que permitiram ao vinho exprimir-se por ele próprio. Acidez natural perfeita com uma persistência em boca contínua em toda a prova, muito mineral, envolvente e elegante. É este o tipo de vinho branco que procuro, seco, que alia complexidade e elegância, tornando-se muito fácil de beber, e onde a harmonia entre a fruta e a acidez, num clima de altitude, nos oferecem um Rabigato com mineralidade apaixonante. Muito fino, um vinho branco do Douro Superior que rivaliza com grandes brancos mundiais, e para quem conseguir resistir aos impulsos, recomenda-se a guarda de umas garrafinhas!

 

 

 

 

 

Habitualmente não me debruço sobre os aspectos de vinificação, tornam-se exaustivos e destinados a um público muito restrito, mas achei neste caso específico interessante como aspecto diferenciador e de aprendizagem.

 

"As uvas vêm de parcelas de vinhas a 500 m de altitude no Douro Superior. São colhidas manualmente em Setembro em caixas de 20 kg. Na adega antes de serem prensadas, passam 12 horas numa câmara frigorífica a 10ºC. Já na adega as uvas são esmagadas directamente para uma prensa vertical onde é efectuada uma prensagem longa e suave. O mosto escorre então, por gravidade, para uma cuba de cimento subterrânea. No dia seguinte o mosto é trasfegado para um tonel oval de 2000 litros de carvalho francês e para uma cuba de cimento em forma de ovo de 600 litros, onde fermenta com leveduras indígenas.

O estágio é de 20 meses."

Please reload

DICAS DE VINHOS BOA COMPRA!

#1 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato 2014

Douro (Branco)

 

#2

Primus 2015

Dão (Branco)

 

#3

Quinta da Pellada Estágio Prolongado 2011

Dão (Tinto)

#4

Dão A Centenária 2015

Dão (Tinto)

#5

Luís Pato Vinhas Velhas 2017

Beira Atlântico (Branco)

#6

Em Cru 2017

Dão (Branco)

#7

António Madeira Colheita 2016

Dão (Tinto)

#8

Argau Cuvée Bruto

Beira Atlântico (Espumante)

#9

Quinta da Serradinha Encruzado e Arinto 2016

Encostas d'Aire / Lisboa (Branco)

#10

Conciso 2014

Dão (Branco)

Actualizado em Junho de 2019

ARTIGOS RECENTES

Também vais gostar

04.11.2019

31.10.2019

Please reload

Please reload

© 2016-2019 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle