Hugo Mendes Lisboa Branco 2016

29.08.2017

 

Hugo Mendes, o nome que se tem falado em todo o "quiosque" vínico nos últimos tempos. Enquanto todos dizem mil maravilhas do vinho e do seu criador e verdadeiro obreiro, nunca nos poderemos esquecer que este sacana consegue agitar o mercado, tipicamente tradicional, introduz inovação e torna-se pioneiro a lançar um vinho em Portugal no sistema crowdfunding. Pensou e pôs em prática o que nunca ninguém teve a coragem de fazer. Vendeu a sua ideia e conceito, e nós os patronos, acreditámos na sua visão, crença e saber, permitindo a venda antecipada e angariação de fundos para dar vida ao Lisboa 2016. Teve cojones para apostar em si próprio, colocar todo o seu conhecimento técnico numa aposta pessoal, sempre arriscada, mas muito gratificante. Todos os génios são considerados em primeira mão de loucos, o Hugo Mendes já era e é muito louco, mas conseguiu a cartada genial que lhe permite alcançar o sonho que tanto merece. Toca lá a dar um calduço ao homem que ele fez muito por isso, a pulso.

 

Todo o mundo já conhece e fala deste vinho, um lote de 50% Fernão Pires e 50% Arinto, não me vou debruçar sobre notas de prova românticas com metáforas à mistura, até porque vou apostar na crença do enólogo e ver o que o vinho nos vai contar com o envelhecimento, e aí já vamos cobrar dele. Contudo já provei, muito fresco, linear, baixo teor alcoólico, bastante suave, muito ao oposto das minhas experiências com Fernão Pires a granel com altos marcadores aromáticos no nariz! A inteligência aliada à experiência, fizeram com que colhesse o Fernão Pires num estádio de maturação mais precoce de forma a "amansar" o vinho no aroma, mantendo a acidez. Depois foi buscar o Arinto, colhido mais tarde, terroir certo, Atlântico, a dar a estrutura e corpo ao vinho, mais mineralidade e algum vegetal. Estou super curioso para saber como vai evoluir nos exemplares que hibernam cá por casa.

 

Mas acabando as tretas, e deixando estas explicações para os peritos, a palavra que me vem à cabeça é esta: Simplicidade! Um vinho simples, o que me apraz bastante, porque já é antigo o ditado e um verdadeiro clichê, less is more!

 

Hugo traz lá mais vinhos que a malta quer é mamar bom vinho!

O primeiro contacto com o vinho foi feito na Nazaré, a acompanhar um belo berbigão caseiro.

 

 

 

 

 

 

 

Lisboa Branco 2016

 

Hugo Mendes / twawine.com

 

  

Castas: Fernão Pires e Arinto

 

Região: Lisboa

 

Teor Alcoólico: 11,5% Vol

 

PVP: 15€ (9€ preço de venda antecipada em crowdfunding)

 

 

 

 

 

 

Please reload

DICAS DE VINHOS BOA COMPRA!

#1 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato 2014

Douro (Branco)

 

#2

Primus 2015

Dão (Branco)

 

#3

Quinta da Pellada Estágio Prolongado 2011

Dão (Tinto)

#4

Dão A Centenária 2015

Dão (Tinto)

#5

Luís Pato Vinhas Velhas 2017

Beira Atlântico (Branco)

#6

Em Cru 2017

Dão (Branco)

#7

António Madeira Colheita 2016

Dão (Tinto)

#8

Argau Cuvée Bruto

Beira Atlântico (Espumante)

#9

Quinta da Serradinha Encruzado e Arinto 2016

Encostas d'Aire / Lisboa (Branco)

#10

Conciso 2014

Dão (Branco)

Actualizado em Junho de 2019

ARTIGOS RECENTES

Também vais gostar

04.11.2019

31.10.2019

Please reload

Please reload

© 2016-2019 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle