Tarde de Verão Parte II - Alcube Reserva Branco 2015

18.09.2017

 

Tarde de Verão é ideal para ser iniciada com um bom espumante, saiu um Cuvée Pauline Vouvray AOC Demi-Sec do Vale do Loire para animar a malta e fazer a cama para o repasto. Contudo há quem prefira, e é sempre uma boa opção, beber um branquinho seco quer seja como aperitivo ou como companhia para a mesa. Eu em grande parte das ocasiões é do início ao fim. Acabei por trazer um vinho branco para acompanhar peixe grelhado na brasa, e a proposta foi feita tendo em conta que a maioria das pessoas iria torcer o nariz aos meus brancos, focados na acidez e minerais para secar o palato.

 

Ponto primeiro e para que fique claro no imediato, este não é um estilo de vinho que goste pessoalmente, normalmente está longe das minhas escolhas. Contudo há que saber falar do que gostamos mas também daquilo que não nos cai em predilecção. Este Alcube Reserva Branco 2015 é um vinho elaborado a partir de uvas Fernão Pires e Moscatel de Setúbal. À partida olhando os aromas primários das uvas em questão, assim como a sua localização no terroir da Península de Setúbal, esperam-se vinhos com alta componente aromática com notas frutadas transmitidas pelo Fernão Pires, que dá também estrutura e corpo ao vinho, e o Moscatel a contribuir com apontamentos mais florais e perfumados, num balanço final que é sempre enigmático, pelo menos para mim. Não consumo muito vinho de Setúbal, é um facto, daí que na minha experiência é diminuta, mas nada mais correcto que opinar sobre o que temos no copo, transmitir opinião objectiva, e mostrar o porquê de sugerir aquele vinho a um determinado público alvo.

 

 

Alcube Reserva Branco 2015

 

Castas: Fernão Pires e Moscatel de Setúbal

 

Região: Península de Setúbal

 

Teor Alcoólico: 14% Vol

 

PVP: +/- 9€


O Alcube Reserva Colheita 2015 resulta de uma mistura das melhores uvas de Fernão Pires e Moscatel da Quinta, certamente com fermentação monovarietal, com posterior mistura em lote e estágio de 4 meses em meias barricas de carvalho americano e francês.
É um vinho de prova fácil e que facilmente cumpre a sua função para quem aprecia vinho branco. De cor amarela forte, tem no nariz aromas pronunciados de fruta branca madura e aquela componente floral característica e inequívoca fornecida pela uva Moscatel, apesar de ser o Fernão Pires que domina. Na boca, novamente a fruta, sendo que a presença da madeira é leve e bem integrada. A meu ver falta frescura e acidez para elevar a sensação de boca e prolongamento. Não é um vinho branco que beba copo atrás de copo, torna-se "pesado", não flui.
Mas não se inquietem, eu elevo ao topo vinhos que a maioria não considera de tanto valor, e neste caso concreto, amigos e familiares gostaram imenso deste Reserva Branco. O fundamental é que cada um retire prazer do que aprecia. 

 

Mas cá entre nós que ninguém nos ouve...falta-lhe frescura, esperava um pouco mais!

 

 

 

 

 
 

Please reload

DICAS DE VINHOS BOA COMPRA!

#1 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato 2014

Douro (Branco)

 

#2

Primus 2015

Dão (Branco)

 

#3

Quinta da Pellada Estágio Prolongado 2011

Dão (Tinto)

#4

Dão A Centenária 2015

Dão (Tinto)

#5

Luís Pato Vinhas Velhas 2017

Beira Atlântico (Branco)

#6

Em Cru 2017

Dão (Branco)

#7

António Madeira Colheita 2016

Dão (Tinto)

#8

Argau Cuvée Bruto

Beira Atlântico (Espumante)

#9

Quinta da Serradinha Encruzado e Arinto 2016

Encostas d'Aire / Lisboa (Branco)

#10

Conciso 2014

Dão (Branco)

Actualizado em Junho de 2019

ARTIGOS RECENTES

Também vais gostar

04.11.2019

31.10.2019

Please reload

Please reload

© 2016-2019 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle