Daterra Azos da Vila 2015

17.01.2019

 

Laura Lorenzo é um nome que hoje surge na ribalta em Espanha, sempre que se fala em vinhos da Galiza, e em especial da região da Ribeira Sacra, Laura Lorenzo é nome de destaque. Trabalhou quase uma década como enóloga e viticultora no produtor Dominio do Bibei, na sub-região de Quiroga-Bibei, antes de se lançar num projecto próprio em sociedade com Alvaro Dominguez. Juntos criaram a Daterra Viticultores, um projecto que totaliza uma área de 4,5 hectares de vinhas, umas próprias, outras arrendadas, com a maioria das cepas com idades compreendidas entre os 80 a 120 anos. Das diferentes parcelas produzem diferentes vinhos, entre os quais este Azos da Vila, na sua abordagem de viticultura e enologia é usado um conceito minimalista de intervenção na vinha e na manipulação do vinho. Laura apostou na revitalização de vinhas stressadas pela produção massiva industrial, devolvendo-lhe o carácter e riqueza, tendo como premissa a viticultura biodinâmica e respeito pelo ecossistema local. Ao fim ao cabo, um acompanhamento constante da vinha ao longo de todo o ano, de forma a produzir uvas autênticas e genuínas, que reflictam o potencial do terroir. Na vinificação, uso exclusivo de leveduras indígenas, aplicação de barricas usadas na fermentação e estágio do vinho, sempre com o propósito de elevar os vinhos e não criar sobreposição secundária e terciária. O uso de sulfuroso é minimizado, assim como as manipulações enológicas. Como se diz por aí agora nos dias de hoje, vinhos com essência e "não rapados".

 

 

Daterra Azos da Vila 2015

 

 

A forte influência granítica impõem um carisma mineral ao vinho. Um nariz apaixonante, aromático, fruta fresca de altíssima qualidade, alguma tinta da China e químico no nariz, na boca muito envolvente, bom tanino, frescura e uma ligeira salinidade crocante no final de boca. De uma genuinidade e carácter invejáveis, em que a elegância de boca aliada a uma certa rusticidade é algo que me cativa. É um vinho de um produtor que provo pela primeira vez mas que fica assente na minha agenda e radar. Altíssima qualidade, pouca concentração, baixo teor alcoólico, uma bomba à mesa, e que nos convida a virar a garrafa num ápice. Um vinho muito equilibrado de uma região que alia um clima Atlântico a um clima continental mediterrânico. Se é para provar lá fora, que seja algo deste calibre.

 

Grande vinho, grande produtor!

 

Castas: Vinhas velhas de 80 a 120 anos (Mouraton, Mencia, Garnacha Tintorera, Marenzao, Gran Negro, entre outras)

 

Região: Ribeira Sacra, Galiza (Val do Bibei, povoado de Manzaneda)

 

Teor Alcoólico: 13% Vol

 

PVP: +/- 20€

 

 

 

 

 

 

Please reload

DICAS DE VINHOS BOA COMPRA!

#1 

Muxagat Os Xistos Altos Rabigato 2014

Douro (Branco)

 

#2

Primus 2015

Dão (Branco)

 

#3

Quinta da Pellada Estágio Prolongado 2011

Dão (Tinto)

#4

Dão A Centenária 2015

Dão (Tinto)

#5

Luís Pato Vinhas Velhas 2017

Beira Atlântico (Branco)

#6

Em Cru 2017

Dão (Branco)

#7

António Madeira Colheita 2016

Dão (Tinto)

#8

Argau Cuvée Bruto

Beira Atlântico (Espumante)

#9

Quinta da Serradinha Encruzado e Arinto 2016

Encostas d'Aire / Lisboa (Branco)

#10

Conciso 2014

Dão (Branco)

Actualizado em Junho de 2019

ARTIGOS RECENTES

Também vais gostar

04.11.2019

31.10.2019

Please reload

Please reload

© 2016-2019 Táscuela

 

Leiria, Portugal - tascuela@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle